Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

os russos


Cecília

08
Abr19

 

todos os dias ladram as sirenas do Fliegeralarm; os russos estão a oitenta quilómetros. A central eléctrica está parada, as colunas do Metanol já não existem, três dos quatro gasómetros do acetileno foram pelos ares. Ao nosso Lager afluem todos os dias sem qualquer ordem os prisioneiros «recuperados» de todos os campos da Polónia oriental; uma minoria segue para o trabalho, a maioria segue directamente para Birkenau e para a Chaminé. 

 

 

Primo Levi – Se Isto É Um Homem (1947)
Coleção Mil Folhas PÚBLICO (2002)

 

 

 

 

voltar a ser


Cecília

28
Fev19

Depois de arranjar a janela partida e depois de o aquecedor começar a difundir calor, pareceu que em cada um a tensão afrouxara, e foi então que Towaroski (um franco-polaco de vinte e três anos, doente de tifo) propôs aos outros doentes que oferecessem cada um uma fatia de pão a nós os três que tivemos o trabalho, e a proposta foi aceite. 

Um dia antes, tal acontecimento não teria sido concebível. A lei do Lager dizia: «come o teu pão e, se puderes, o do teu vizinho», e não deixava lugar à gratidão. Isto significava claramente que o Lager estava morto.

Foi este o primeiro gesto humano que aconteceu entre nós. Julgo que se poderia fixar naquele momento o início do processo pelo qual, nós que não morremos, de Häftlinge voltámos lentamente a ser homens. 

 

 

Primo Levi – Se Isto É Um Homem (1947)
Coleção Mil Folhas PÚBLICO (2002)

 

 

Resurrection of the Messiah

Justin BUA

 

invariavelmente


Cecília

07
Fev19

disse a assistente, com um sorriso triste e cansado de quem trabalhava para pagar as propinas da faculdade, visto que os pais já não tinham posses para isso, de quem fazia turnos extra para conseguir mais algum para pôr numa conta poupança-habitação com o namorado, para se meterem numa casa assim que tivessem acabado os respectivos cursos e tivessem arranjado empregos que lhe dessem aquela segurança de que um casal em início de vida necessitava para se chegar ao balcão e pedir cem mil euros, a trinta e cinco anos, com taxa variável e indexada a uma coisa que eles não sabiam muito bem o que era, mas que era suficiente para lhes tirar muitas noites de sono. 

 

Ricardo Adolfo, Mizé - Antes galdéria do que normal e remediada

Alfaguara (2011)

 

 

 

rotina da magia


Cecília

21
Jan19

É que os clientes quando chegavam do trabalho cansados, desmotivados, prontos para enfiar um tiro nos cornos, sempre passavam por ali - e em vez de chacinarem a família, levantavam o último herói psicopata e com ele arrasavam exércitos de maus em menos de duas horas. O que era o tempo perfeito para voltarem para a cama e dormirem aquelas seis, sete horinhas que os ia deixar fresquinhos para mais um dia de labuta nos cubículos de Lisboa e arredores. 

 

Ricardo Adolfo, Mizé - Antes galdéria do que normal e remediada

Alfaguara (2011)

 

 

heróis içados, nação valente


Cecília

11
Jul18

Em paga deste diagnóstico tão brilhante o nosso herói foi içado à categoria de ministro o que, naqueles tempos, não era nada mau porque o lugar funcionava como plataforma para outros encaixes menos espectaculares, porém mais lucrativos.  

 

 

 

Vilhena – História Universal da Pulhice Humana (1960/1961/1965)
Edição Completa, Integral e Nunca Censurada dos Três Volumes Originais Pré-História / O Egipto / Os Judeus

Herdeiros de José Vilhena / SPA 2015, E-Primatur (2016)

 

 

 

 

a vaquinha que nos ri


Cecília

04
Jul18

Um Mestre da sabedoria passeava por uma floresta com seu jovem discípulo, quando avistou ao longe um sítio de aparência pobre, e resolveu fazer uma breve visita.

Durante o percurso ele falou ao aprendiz sobre a importância das visitas e das oportunidades de aprendizado que temos, também com as pessoas que mal conhecemos.

Chegando ao sítio constatou a pobreza do lugar, sem acabamento, casa de madeira e os moradores, um casal e três filhos, vestidos com roupas sujas e rasgadas. Aproximou-se do senhor, que parecia ser o pai daquela família, e perguntou: “Neste lugar não há sinais de pontos de comércio, nem de trabalho. Como vocês sobrevivem”?

Calmamente veio a resposta:

“Meu senhor, temos uma vaquinha que nos dá vários litros de leite todos os dias. Uma parte nós vendemos ou trocamos na cidade mais próxima por outros gêneros de alimentos. Com a outra parte fazemos queijo, coalhada, etc., para o nosso consumo… e assim vamos sobrevivendo”.

O Mestre agradeceu a informação, contemplou o lugar por uns momentos, despediu-se e foi embora. No meio do caminho, em tom grave, ordenou ao seu fiel discípulo:

“Pegue a vaquinha, leve-a até o precipício e empurre-a lá para baixo”.

Em pânico, o jovem ponderou ao Mestre que a vaquinha era o único meio de sobrevivência daquela família. Percebendo o silêncio do Mestre, sentiu-se obrigado a cumprir a ordem. Assim, empurrou a vaquinha morro abaixo, vendo-a morrer.

Essa cena ficou marcada na memória do jovem durante alguns anos. Certo dia, ele decidiu largar tudo o que aprendera e voltar ao mesmo lugar para contar tudo àquela família, pedir perdão e ajudá-los.

Quando se aproximava, avistou um sítio muito bonito todo murado, com árvores floridas, carro na garagem e algumas crianças brincando no jardim. Ficou desesperado imaginando que aquela humilde família tivera que vender o sítio para sobreviver.

Apertou o passo e ao chegar lá foi recebido por um caseiro simpático, a quem perguntou sobre a família que ali morou há alguns anos.

“Continuam morando aqui”, respondeu rapidamente o caseiro.

Surpreso, ele entrou correndo na casa e viu que era efetivamente a mesma família que visitara antes com o Mestre. Depois de elogiar o local, dirigiu-se ao senhor que era o dono da vaquinha que havia morrido:

- “Como o senhor conseguiu melhorar este sítio e ficar tão bem de vida”?

A resposta veio com entusiasmo:

- “Tínhamos uma vaquinha que caiu no precipício e morreu. Daí em diante tivemos que aprender a fazer outras coisas e desenvolver habilidades que nem sabíamos que tínhamos”.

E completou feliz:

- “Assim, conseguimos conquistar o sucesso que seus olhos vêem agora”!

 

Moral desta história:

Todos nós temos uma “vaquinha”, que nos dá as coisas básicas para sobreviver, mas que nos obriga a conviver com uma cega rotina.

As vezes precisamos empurrar uma vaquinha para vir as mudanças em nossas vidas.

Identifique a sua “vaquinha”.



Veja mais Mensagens: História da Vaquinha » Mensagem do Dia http://mensagemdodia.com/historia-da-vaquinha/#ixzz5KHgBuFwA

 

 

vache a lunette  G.jpg

 vache à lunettes

Anne HUDRY

 

dites-moi comment ça marche


Cecília

28
Jun18

Ela caminha

Nós vemos a nossa vida passar

No fio

Nós vemos os anos passarem

Nós tentamos seguir o caminho certo

E nós não podemos rebobinar

Todos esses nós em nossas vidas

Se pudéssemos desamarrá-los

Então me diga como funciona

Me diga como funciona

Me diga como funciona

Me diga como funciona


De qualquer forma, andamos em fila

Em grupos ou não, caminhamos sozinhos

Goste ou não, temos um valor de mercado

da juventude até a mortalha

Caminhe ou morra, mas caminhe em linha reta

ande de ré ou não trabalhe

E os negócios, como vai

Saúde, família e o resto, como vai

Me diga como funciona

Me diga como funciona

Eu sei que nem sempre é do jeito que queremos

Nem sempre como desejamos

mas eu gostaria de alguns dos velhos dias felizes

Me diga como funciona


Eu me pergunto depois de todos esses anos

de novo e de novo

Eu sei onde estou indo mas não onde eu quero ir

Eu sinto que se eu me soltar

isso não me faria mal

Eu faria bem em arriscar, estaria errado em não tentar

Se eu quisesse eu poderia até parar, voltar atrás

Além disso as barreiras

precisam sempre ser superadas

Por que tenho medo de ser esmagado

por quem e pelo quê?

Eu não sei, mas o que eu sei é que

se estou com medo, é porque eu não sou o último

Como se houvesse apenas um destino, apenas um lugar

Apenas uma estrada para onde deveríamos ir

eu ficaria surpreso

Tudo que eu sei é que eu não sei, eu vou passo a passo

Sim, passo a passo

sim passo a passo


Eu vou passo a passo

(passo a passo, passo a passo, passo a passo)

Eu vou passo a passo

Tudo que eu sei é que eu não sei

Eu vou passo a passo

(passo a passo, passo a passo, passo a passo)


A cabeça dela em seu telefone

Sem fones de ouvido, acharíamos que ela é louca

Sem o Google, acharíamos que ela é burra

E sem filtros, acharíamos que é bonita

É muito fácil julgar, é muito fácil julgar

Se o objetivo dela na vida é se parecer com a Gigi

Mas sem cirurgia é mais Gégé que Gigi

Se a escola nos ensinou como fazer lindas selfies

Para ter um melhor começo de vida

para ter um melhor começo de vida

Sem saber para onde estamos indo, onde estamos

Sem saber onde nós terminaríamos

Sem saber onde estamos, para onde vamos

Sem saber onde vai acabar

A cabeça dela em seu telefone

Sem fones de ouvido, acharíamos que ela é louca

Sem o Google, acharíamos que ela é burra

E sem filtros, acharíamos que é bonita


O que importa é o que está em nossos coração

e é isso que importa

Dinheiro não faz felicidade não

ele é usado para fazer bombas

Para ser bonita quando se tem dinheiro (temos dinheiro)

é mais fácil né

O dinheiro apodrece as pessoas

e as torna bonitas ao mesmo tempo, é fascinante

Nós não somos todos iguais em questão beleza Corrigir

é tão fácil ser arrogante quando as vemos caminhar

Jovem, antes de aprender um trabalho

Você precisa primeiro aprender

como retocar a foto de um currículo


A cabeça dela em seu telefone

Sem fones de ouvido, acharíamos que ela é louca

Sem o Google, acharíamos que ela é burra

E sem filtros, acharíamos que é bonita

https://www.vagalume.com.br/stromae/defiler-traducao.html

 

Elle défile

On voit nos vies défiler

Sur le fil

On voit les années filer

On essaye de filer droit

Et on n'peut pas rembobiner

Tout ces nœuds dans nos vies

Si on pouvait les dénouer

Alors dites-moi comment ça marche

Dites-moi comment ça marche

Dites-moi comment ça marche

Dites-moi comment ça marche


De toute façon, on marche dans les rangs

En groupe ou pas, on marche seul

Qu'on l'veuille ou pas on a une valeur marchande

du plus jeune âge au linceul

Marche ou crève mais marche droit

marche à l'envers ou ne marche pas

Et le business, ça marche

La santé, la famille et le reste, ça marche

Dites-moi comment ça marche

Dites-moi comment ça marche

Je l'sais qu'ce n'est pas toujours comme on le veut

Pas toujours comme on l'souhaite

mais je voudrais de vieux jours heureux

Dites-moi comment ça marche


Je me demande après toutes ces années

encore et encore

Je l'sais bien là où je ne vais pas

mais pas encore là où je voudrais aller

Je me doute bien qu'si je me laisse aller

ça me ferait pas tort

Je ferais bien de franchir le pas

en tout cas j'aurais tort de ne pas essayer

Si j'voulais j'pourrais même m'arrêter

faire machine arrière

D'ailleurs pourquoi les barrières

devraient être toujours dépassées

Pourquoi j'ai peur d'être dépassé, par qui et par quoi?

Je ne sais pas mais c'que je sais

c'est que si j'ai peur c'est que j'suis pas l'dernier

Comme si y'avait qu'une arrivée, qu'un seul endroit

Qu'une seule route où on devrait aller, ça m'étonnerait

Tout ce que j'sais c'est qu'je sais pas, j'y vais pas à pas

Ouais pas à pas, ouais pas à pas


J'y vais pas à pas

(pas à pas, pas à pas, pas à pas)

J'y vais pas à pas

Tout ce que j'sais c'est qu'je sais pas

J'y vais pas à pas

(pas à pas, pas à pas, pas à pas)


La tête dans son téléphone

Sans écouteurs, on la croirait folle

Sans Google, on la croirait conne

Et sans filtres, on la croirait bonne

C'est trop facile de juger, c'est trop facile de juger

Si son but dans la vie c'est de ressembler à Gigi

Mais sans chirurgie c'est plus Gégé que Gigi

Si l'école nous apprenait à faire des beaux selfies

Pour mieux démarrer dans la vie

pour mieux démarrer dans la vie

Sans savoir où on va, où on est

Sans même savoir où on finirait

Sans savoir où on est, où on va

Sans même savoir où ça finira

La tête dans son téléphone

Sans écouteurs, on la croirait folle

Sans Google, on la croirait conne

Et sans filtres, on la croirait bonne


C'qui compte c'est c'qu'on a dans l'cœur

et c'qu'y a sur le compte

L'argent ne fait pas le bonheur non

il sert à fabriquer des bombes

Être belle quand on a de l'argent (on a de l'argent)

c'est plus facile nan

L'argent pourrit les gens

et il les rend beau en même temps, c'est fascinant

On n'est pas tous égaux face à la beauté

c'est si facile d'être gros quand on les voit défiler

Petit, avant d'apprendre un métier

Faut d'abord apprendre

à retoucher la photo d'un Cv


La tête dans son téléphone

Sans écouteurs, on la croirait folle

Sans Google, on la croirait conne

Et sans filtres, on la croirait bonne