Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

25
Jan22

(da importância de ouvir boa música)

Cecília

Em vários dos seus estudos, um entrevistador apresentava a crianças negras, entre os 3 e os 7 anos, duas bonecas, uma branca e outra negra. Depois, o entrevistador pedia à criança que escolhesse e lhe entregasse «a boneca com que gostaria de brincar»; a seguir, «a boneca que é bonita»; «a boneca que tem uma cor bonita»; «a boneca que é feia»; «a boneca que se parece contigo», etc. As crianças manifestavam ser sensíveis à cor e saber nomear a sua cor. Cerca de dois terços das crianças indicaram que a boneca que se parecia com elas era a boneca negra, embora um terço tenham declarado que a boneca branca era a que se parecia com elas. Mais de metade das crianças negras disseram que a boneca com que preferiam brincar era a boneca branca, que esta era a boneca bonita e que tinha uma cor bonita. Em consonância, mais de metade disseram que a boneca feia era a boneca negra. Uma análise dos resultados por idades permitiu aos autores proporem que a idade crucial para a interiorização da inferiorização racial ocorria entre os 4 e os 5 anos de idade. Estes resultados assumem um significado muito importante, pois revelam que as crianças interiorizam desde cedo as mensagens de inferiorização veiculadas pelo contexto social.

Os estudos dos Clark não tiveram grande impacto científico na altura, mas os resultados obtidos foram fundamentais para o testemunho que os Clark elaboraram para o Supremo Tribunal dos EUA sobre os efeitos da segregação racial nas escolas americanas e, subsequentemente, para a argumentação e decisão deste Tribunal, que aboliu a segregação em 1954 [...] Aqueles estudos constituíram o principal fundamento para o Supremo Tribunal concluir que a segregação racial na escola era prejudicial ao desenvolvimento harmonioso e ao bem-estar das crianças negras e que os contactos entre crianças de cor diferente no contexto escolar poderiam conduzir a relações sociais mais igualitárias e a um melhor desenvolvimento pessoal.

 

Jorge Vala – Racismo, Hoje, Portugal em Contexto Europeu (2021)

Fundação Francisco Manuel dos Santos, Jorge Vala (2021)

 

 

03
Ago16

reposições de agosto

Cecília

///////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

 

"The Gold Rush" - Charles Chaplin (1925)

Casablanca" - Michael Curtiz (1942)

To Have and Have Not" - Howard Hawks (1944)

"It's a Wonderful Life" - Frank Capra (1946)

A Streetcar Named Desire" - Elia Kazan (1951) 

" Dial M for Murder" - Alfred Hitchcock (1954)

 "Rear Window" - Alfred Hitchcock (1954)

Mon oncle" - Jacques Tati (1958)

" La ciociara" - Vittorio De Sica (1960)

Zorba the Greek" - Michael Cacoyannis (1964)

"Nuovo cinema Paradiso" - Giuseppe Tornatore (1988)

"Scent of a Woman" - Martin Brest (1992) 

"Il Postino" - Michael Radford (1994)

The Bridges of Madison County" - Clint Eastwood (1995) 

Carne trémula" - Pedro Almodóvar (1997)

"La vita è bella" - Roberto Benigni (1997)

O Auto da Compadecida" - Guel Arraes (2000) 

O Delfim" - Fernando Lopes (2002)

"The Bank Job" - Roger Donaldson (2008)

"The Reader" - Stephen Daldry (2008)

"Away We Go" -  Sam Mendes (2009)

 " Le Concert" - Radu Mihăileanu (2009) 

"L'Illusionniste" - Sylvain Chomet (2010)

"Rien à déclarer" -  Dany Boon (2010)

"Black Swan" - Darren Aronofsky (2011)

"Intouchables" -  Olivier Nakache / Éric Toledano (2011) 

The Help" - Tate Taylor (2011) 

A Gaiola Dourada" - Ruben Alves (2013)

"Omar" - Hany Abu-Assad (2013)

         " The Lunchbox" -  Ritesh Batra (2013) 

Os Gatos não Têm Vertigens" -  António-Pedro Vasconcelos (2014)

 

/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

 

 

"Late at night,
One of us sometimes has said,
Watching a movie in black and white,
Of the vivid figures quick upon the screen,
“Surely by now all of them are dead”—

(...)

Ignorant of so many things we know,
How they seem innocent, and yet they too
Possess a knowledge that they cannot give,
The grainy screen a kind of sieve
That holds some things, but lets some things slip through
With the current’s rush and swirl." 

 

 

A.E.Stallings in "Noir" 

HAPAX (2006)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2021
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2020
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2019
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2018
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2017
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2016
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    Em destaque no SAPO Blogs
    pub