Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

reasons

03.11.21

"Olive, how is Christopher?"

Olive said, "His new baby died. Heartbeat stopped a few days before it was due. Ann had to push it out dead."

"Olive!" Marlene's pretty eyes filled with tears.

"No reason to cry about it," Olive said. (Olive had cried. She had cried like a newborn baby when she hung up the phone from Christopher after he told her.)

 

Elizabeth Strout – Olive, Again (2019)
Penguin Random House UK (2019)

 

 

medo

08.12.20

«Dee Dee», disse ele, «daqui a meia hora tenho uma entrevista com o Rod Stewart. Tenho de ir.» Partiu.

Dee Dee pediu outra rodada. «Porque é que não és simpático para as pessoas?»

«Medo», respondi. 

 

Charles Bukowski – Mulheres (1978)
Coleção Mil Folhas PÚBLICO (2003)

 

A MORTE E O AVARENTO (1494)

Hieronymus Bosch 

chegado

17.11.20

Porque és sem tensão o resultado,

o chegado. A praia e o centro do olhar

no extremo e simples.

[...]

à varanda de ti próprio.

À varanda do mar.

[...]

No espaço interno mar

onde chegaste

o desejo coincide em si

no mar. 

 

 

António Ramos Rosa in O DESEJADO CHEGADO  - Obra Poética I

Assírio & Alvim (2018)

 

 

deixar

06.03.20

Não cantes vitorioso nem a galope: deixa as palavras virem ao nível do seu vagaroso peso, do seu chão de água. 

 

António Ramos Rosa in ONDE AINDA É POSSÍVEL - Obra Poética I

Assírio & Alvim (2018)

 

 

sinuosos arpões

11.10.19

Num sinuoso acesso de dor 

subia-se à felicidade como um peixe

arpoado pela corola activa da fêmea.

Ajoelho ante essa fúria sensual... 

 

 

Paulo da Costa Domingos in CAMPO DE TÍLIAS

 

 

Paulo da Costa Domingos – Carmina (1971-1994)
Antígona (1995)