Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

toque subtil na falha


Cecília

04
Set19

Uma certa atenção treinada pela História poderia discernir neste jovem par (...) o toque subtil da decadência precoce, o drama de uma geração que já não pertence ao passado mas dele traz a herança suficiente para sentir que falhou o futuro. 

 

Álvaro Guerra – Razões de Coração (1991)
Coleção Mil Folhas PÚBLICO (2002)

 

 

 

as cerimónias do medo e do orgulho


Cecília

31
Jul19

Então, Manoel solta os freios das cerimónias, agarra-a pela cintura e, antes de a beijar, diz-lhe que as doidices de Lisboa não são nada, ao pé da doidice que ele tem por ela. Olha que estás a desfazer-me o chignon... Pois desfaço-to mesmo!

Acabam por comer a canja fria, o Manoel de camisa esgargalada e fora das calças, a Juliana de cabeleira desfeita e chambre chinês 

 

 

Álvaro Guerra – Razões de Coração (1991)
Coleção Mil Folhas PÚBLICO (2002)

 

 

 

Once I have Been Caught


Cecília

01
Jul19

Sounds very Simple to do,
To Kiss me Quick
But your Love must be True
And to catch me, is the Trick

When our lips do Meet
I know it will be such a Treat
For me as well as You
Nice and wet like the Morning Dew

Lips twisting and Turning
For more defiantly Yearning
And I'll probably want a Lot
Once I have Been Caught

 

 
 

Na Cama, O Beijo - 1892


Henri de Toulouse-Lautrec

 

beijo


Cecília

06
Mai19


E de novo a armadilha dos abraços.
E de novo o enredo das delícias.
O rouco da garganta, os pés descalços
a pele alucinada de carícias.
As preces, os segredos, as risadas
no altar esplendoroso das ofertas.
De novo beijo a beijo as madrugadas
de novo seio a seio as descobertas.
Alcandorada no teu corpo imenso
teço um colar de gritos e silêncios
a ecoar no som dos precipícios.
E tudo o que me dás eu te devolvo.
E fazemos de novo, sempre novo
o amor total dos deuses e dos bichos.

 

Rosa Lobato Faria, in 'Dispersos'

 

 

 

y cuando quieras que lleguemos


Cecília

23
Jan19

Parece que esta vaina calentó
Tu cuerpo y mi cuerpo lo saben
Mi pecho siente tu respiración
Y los latidos son iguales

Se te nota
Que todas tus neuronas se alborotan
Si pateo no hay quien pare esta pelota
Sudan las ventanas gota a gota
Se te nota

Paso a paso bajo el escalón
Donde no te pega el sol
Poco a poco paso el ecuador
Yo quiero besarte


Ahí
Donde nace la quebrada
Ahí
En esa tierra sagrada
Ahí
Y cuando se acaben los besos
Pa'l centro y pa' dentro
Ahí
En esa playa mojada
Ahí
Tanto que me la soñaba
Y cuando quieras que lleguemos
Pa'l centro y pa' dentro
(Pa'l centro y pa' dentro)
(Pa'l centro y pa' dentro)
(Pa'l centro y pa' dentro)


Lo que sea
Por recorrer esos caminos nuevos
Yo hago lo que sea
Lo que sea


Si tú quieres que yo mueva la cabeza
Yo la muevo
La mue- la muevo
Si tú quieres que yo mueva la cabeza
Yo la muevo
La mue- la muevo
Si tú quieres que yo mueva la cabeza
Yo la muevo
La mue- la muevo
Si tú quieres que yo mueva la cabeza
Yo la muevo
La mue- la muevo


Ahí
Donde nace la quebrada
Ahí
En esa tierra sagrada
Ahí
Y cuando se acaben los besos
Pa'l centro y pa' dentro
Ahí
En esa playa mojada
Ahí
Tanto que me la soñaba
Y cuando quieras que lleguemos
Pa'l centro y pa' dentro

Paso a paso bajo el escalón
Donde no te pega el sol
Poco a poco paso el ecuador
Yo quiero besarte


Ahí
Donde nace la quebrada
Ahí
En esa tierra sagrada
Ahí
Y cuando se acaben los besos
Pal centro y pa dentro
Ahí
En esa playa mojada
Ahí
Tanto que me la soñaba
Y cuando quieras que lleguemos
Pa'l centro y pa' dentro

 

 

não lamentemos o estado de certas editoras


Cecília

15
Jan19

Não lamentes, ó Nize, o teu estado;
Puta tem sido muita gente boa;
Putissimas fidalgas tem Lisboa,
Milhões de vezes putas teem reinado:

Dido foi puta, e puta d'um soldado;
Cleopatra por puta alcança a c'roa;
Tu, Lucrecia, com toda a tua proa,
O teu conno não passa por honrado:

Essa da Russia imperatriz famosa,
Que inda ha pouco morreu (diz a Gazeta)
Entre mil porras expirou vaidosa:

Todas no mundo dão a sua greta:
Não fiques pois, ó Nize, duvidosa
Que isso de virgo e honra é tudo peta.

 

Bocage - SONETO DE TODAS AS PUTAS

 

P.S. o ano passado foi esta a "preocupação didático-pedagógica":  valter hugo mãe e a moralidade (a lápis) azul 

 

matéria de religião


Cecília

09
Ago18

É óbvio que nem as grilhetas, os palavrões, os maus tratos e as sevícias os incomodaram grandemente pois, como sabeis, o povo do Senhor está-se marimbando para essas coisas e só refila em matéria de religião, não podendo suportar as nefandas práticas e cultos dos povos infiéis... que são todos os outros evidentemente. 

 

 

Vilhena – História Universal da Pulhice Humana (1960/1961/1965)
Edição Completa, Integral e Nunca Censurada dos Três Volumes Originais Pré-História / O Egipto / Os Judeus

Herdeiros de José Vilhena / SPA 2015, E-Primatur (2016)