Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

assados

Descoberto o fogo, inventaram os assados mas arranjaram também lenha para se queimarem pois logo apareceu quem inventasse o inferno, o castigo, o pecado (67) e outras coisas que tais, acabando-se de uma vez para sempre a paz entre os homens. 

 

(67) Onde as criaturas se afundaram com regalo e para todo o sempre. 

 

 

Vilhena – História Universal da Pulhice Humana (1960/1961/1965)
Edição Completa, Integral e Nunca Censurada dos Três Volumes Originais Pré-História / O Egipto / Os Judeus

Herdeiros de José Vilhena / SPA 2015, E-Primatur (2016)

 

 

Os Sete Pecados Mortais e os Quatro Novíssimos do Homem (1500)

Hieronymus Bosch

(As quatro últimas etapas do homem são a morte, o juízo final, o paraíso e o inferno).

 

 

 

o zen e a imaginação suplementar

Trata-se de um dos monumentos mais famosos da civilização japonesa, o jardim de rochas e areia do templo Ryoanji de Kyoto, a típica imagem da contemplação do absoluto que se alcança com os meios mais simples e sem recorrer a conceitos exprimíveis por palavras, segundo os ensinamentos dos monges Zen, a seita mais espiritual do budismo (...) Ao longo do quarto lado está um estrado de madeira com degraus onde o público pode passar e parar e sentar-se. «Se o nosso olhar interior permanecer absorto na visão deste jardim - explica o prospecto que é oferecido aos visitantes, em japonês e em inglês, assinado pelo abade do templo - sentir-nos-emos despidos da relatividade do nosso eu individual, ao mesmo tempo que a intuição do Eu absoluto nos encherá de serena surpresa, purificando as nossas mentes ofuscadas.»

O senhor Palomar está disposto a seguir estes conselhos com confiança e senta-se nos degraus, observa as rochas uma por uma, segue as ondulações sobre a areia branca, deixa que a harmonia indefinível que liga os elementos do quadro o vá invadindo a pouco e pouco. 

Ou seja: procura imaginar todas estas coisas tal como as sentirá alguém que pudesse concentrar-se na contemplação do jardim Zen em solidão e silêncio. Porque - tinhamo-nos esquecido de o dizer - o senhor Palomar está comprimido sobre o estrado, no meio de centenas de visitantes que o empurram de todos os lados, objectivas de câmaras fotográficas e de máquinas de filmar que abrem caminho por entre cotovelos, joelhos e orelhas da multidão, enquadrando as rochas e a areia de todos os ângulos possíveis, iluminados pela luz natural ou pelos flash (...) proles numerosas são empurradas para a primeira fila por pais com espírito pedagógico, bandos de estudantes, em uniforme, empurram-se, ansiosos por digerir o mais depressa possível a visita escolástica ao monumento famoso; visitantes diligentes verificam, com o vaivém rítmico da cabeça, se tudo aquilo que está escrito no guia turístico corresponde à realidade e se tudo aquilo que se vê na realidade está escrito no guia (...) 

Estas «instruções de utilização» estão contidas no prospecto e parecem ao senhor Palomar perfeitamente plausíveis e imediatamente aplicáveis, sem esforço, desde que se esteja deveras seguro de ter uma individualidade que se possa despir e de estar a olhar o mundo do interior de um eu que se possa dissolver, tornando-se apenas olhar. Mas é exactamente este ponto de partida que exige um esforço de imaginação suplementar, dificílimo de efectuar quando o nosso próprio eu é aglutinado por uma multidão compacta, que olha através dos seus mil olhos e percorre sobre os seus mil pés o itinerário obrigatório da visita turística. 

Conclui-se portanto que as técnicas mentais Zen, destinadas a alcançar o limite extremo da humildade, a distanciação em relação a qualquer forma de posse e orgulho, têm necessariamente como base o privilégio aristocrático, pressupondo o individualismo, com muito espaço e muito tempo à volta de cada um. 

 

 

Italo Calvino  - Palomar (1983)

Planeta DeAgostini (2001)

 

 

 

Annelies Marie Frank

 

0929317.jpeg

 Annelies Marie Frank (Anne Frank)

(12 de junho, 1929 – fevereiro, 1945)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Otto Frank

(12 de maio, 1889 – 19 de agosto, 1980)

 

 

 

 

 

 

                                                                                                   Bernhard Paul “Buddy” Elias

                                                                                  (2 de junho,1925 – 16 de março, 2015)

 

 

 

 

                       

 

 

 

 

Que aqueles que me amam possam viver mais tempo do que eu! 

 

 

George Sand – Diário Íntimo

Antígona (2004)

 

 

 

primeiro pulha da história

 

merece referência especial o primogénito chamado Caím, o qual, matando o irmão com requintes de malvadez se consagrou como o primeiro pulha da história. 

Nascida neste ambiente de tragédia familiar, não admira que a nossa civilização esteja recheada de situações ignominiosas e que o destino humano seja, mais dia menos dia, a pulhice integral. Porque a calma, a decência, a honestidade e o gosto pela vida ficaram para sempre com os macacos na floresta virgem. 

 

 

 

Vilhena – História Universal da Pulhice Humana (1960/1961/1965)
Edição Completa, Integral e Nunca Censurada dos Três Volumes Originais Pré-História / O Egipto / Os Judeus

Herdeiros de José Vilhena / SPA 2015, E-Primatur (2016)

 

 

 

monkeys.jpg

 

 

 

judiarias errantes

minha vida, bisa a da lenda do judeu errante. Não me é permitido morrer. Não me é permitido descansar. 

 

 

George Sand – Diário Íntimo

Antígona (2004)

 

 

 

 

On the turning away
From the pale and downtrodden
And the words they say
Which we won't understand
"Don't accept that what's happening
Is just a case of others' suffering
Or you'll find that you're joining in
The turning away"

It's a sin that somehow
Light is changing to shadow
And casting it's shroud
Over all we have known
Unaware how the ranks have grown
Driven on by a heart of stone
We could find that we're all alone
In the dream of the proud

On the wings of the night
As the daytime is stirring
Where the speechless unite
In a silent accord
Using words you will find are strange
And mesmerized as they light the flame
Feel the new wind of change
On the wings of the night

No more turning away
From the weak and the weary
No more turning away
From the coldness inside
Just a world that we all must share
It's not enough just to stand and stare
Is it only a dream that there'll be
No more turning away?

 

 

o armamento ao longo da história

Deus acrescentou que exerceria represálias lançando terríveis pragas (42) sobre o monarca e o povo egípcios. 

 

 

(42) Os teleguiados de então. 

 

 

Vilhena – História Universal da Pulhice Humana (1960/1961/1965)
Edição Completa, Integral e Nunca Censurada dos Três Volumes Originais Pré-História / O Egipto / Os Judeus

Herdeiros de José Vilhena / SPA 2015, E-Primatur (2016)

 

 

coldwarcartoon.1.gif

 

  

santa páscoa e feliz verdade

A cólera do justo é terrível: é a mão de Deus a esmagar-nos; o ódio do perverso não passa de fastio: é a blasfémia estéril e sórdida do demónio. O justo é corajoso e implacável; o injusto é cobarde e tortuoso. Este trabalha dez anos para cometer uma iniquidade que se revela um malogro; o primeiro faz brilhar a verdade como um clarão, e ao fim de dez anos de silêncio e de calma, é capaz de fulminar com o olhar e com uma única palavra o infame que esgotou a sua paciência. 

 

 

George Sand – Diário Íntimo

Antígona (2004)

 

 

 

 

 

 

encarar conforme os bons costumes

 

A versão de que Eva encarou o problema de frente é pelo menos a mais corrente entre os historiadores e a que melhor se conforma com os bons costumes. 

 

 

Vilhena – História Universal da Pulhice Humana (1960/1961/1965)
Edição Completa, Integral e Nunca Censurada dos Três Volumes Originais Pré-História / O Egipto / Os Judeus

Herdeiros de José Vilhena / SPA 2015, E-Primatur (2016)

 

 

wine_52569.jpg

créditos imagem:  https://www.toonpool.com/cartoons/wine_5256#img9