Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

01 Jul, 2019

suavemente voraz

Os dentes, porque são dentes, iniciais. Na espuma, porque não são saliva estas ondas pouco mordentes; este sal que sobe quase doce; donde? Numa espécie de fogo: amor é fogo que arde sem se ver; porque não é de facto fogo este frio aceso; da saliva à lava passa pela espuma. Só os dentes. Duros, ácidos, concentram-se tacteando a pele, tatuando signos sempre moventes de fúria. Mordida a pele cintila; espelho dos dentes, do seu esmalte voraz; suavemente.   Carlo (...)
26 Jun, 2019

passeata

A pessoa, o lugar, o objeto estão expostos e escondidos ao mesmo tempo só a luz, e dois olhos não são bastante para captar o que se oculta no rápido florir de um gesto. É preciso que a lente mágica enriqueça a visão humana e do real de cada coisa um mais seco real extraia para que penetremos fundo no puro enigma das figuras. Fotografia – é o codinome da mais aguda percepção que a nós mesmos nos vai mostrando e da evanescência de tudo, edifica uma penanência, cristal do (...)
11 Jun, 2019

um tango por dia

Sometimes in life confusion tends to arise  and only dialogue of dance seems to make sense. Shah Asad Rizvi
    António Mário Lopes Pereira Viegas (Santarém, 10 de novembro de 1948 — Lisboa, 1 de abril de 1996)     Desiludido e revoltado decide encetar a carreira mais fácil, menos efémera e com reforma assegurada: PRESIDENTE DA REPÚBLICA de Portugal, Açores, Madeira, Macau e Timor-Leste. As Sondagens dão-lhe 93,4% de intenção de voto. Não sabe o que quer para o País, mas o País sabe o que quer dele! Não quer ser o Presidente de todos os Portugueses! Tem como Lemas da (...)
01 Mar, 2019

???

Não sei se isto é amor. Procuro o teu olhar, Se alguma dor me fere, em busca de um abrigo; E apesar disso, crê! nunca pensei num lar Onde fosses feliz, e eu feliz contigo. Por ti nunca chorei nenhum ideal desfeito. E nunca te escrevi nenhuns versos românticos. Nem depois de acordar te procurei no leito Como a esposa sensual do Cântico dos Cânticos. Se é amar-te não sei. Não sei se te idealizo A tua cor sadia, o teu sorriso terno... Mas sinto-me sorrir de ver esse sorriso Que me (...)
13 Nov, 2018

casa nova

O tronco antigo é a casa nova nos seus ramos vivos   António Ramos Rosa in A ESPESSURA É BRANCA   António Ramos Rosa - Obra Poética I  Assírio & Alvim (2018)      
29 Mai, 2018

ser poeta

Ninguém pode ser poeta se não contiver em si amor e fé.     George Sand – Diário Íntimo Antígona (2004)        
16 Abr, 2018

seduções

Alguns dos seus versos, se tomados em separado, pareciam ter força, mas quando eram considerados no seu todo, percebia-se que o Victor não estava a dizer nada (...) No entanto, a Vicki (...) como a maior parte das mulheres, facilmente se deixava seduzir por tolos     Charles Bukowski in Sujo Sofrimento - Música para Água Ardente (1983) Antígona (2015)