Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

10 Dez, 2019

W. Chimobi

Before you came, things were as they should be: the sky was the dead-end of sight, the road was just a road, wine merely wine. Now everything is like my heart, a color at the edge of blood: the grey of your absence, the color of poison, of thorns, the gold when we meet, the season ablaze, the yellow of autumn, the red of flowers, of flames, and the black when you cover the earth with the coal of dead fires. And the sky, the road, the glass of wine? The sky is a shirt wet with tears, the (...)
02 Nov, 2019

epifania

a morte é isto: abundância     Paulo da Costa Domingos in CAMPO DE TÍLIAS     Paulo da Costa Domingos – Carmina (1971-1994) Antígona (1995)       The Last Judgement (1533 - 1541) Michelangelo Buonarroti    
22 Out, 2019

tempo

  Põe o tempo o cuidado que ignora o ouvido e que o livro não dá. É dele este silêncio, este saber, este ouvir e calar. (...) É dele o pouco a pouco, o aproximado, o justo.  (...) É doce e grande  o tempo. (...) Põe o tempo o cuidado. Mas não põe as estrelas.   Perde o olhar o brilho. Mas o mar não se perde.        António Ramos Rosa in Antecipação à Velhice - Obra Poética I Assírio & Alvim (2018)        
Com as portas abertas eu sou o mar que entra.  Mas sem esquecer o sangue, eu escuto e sei e espero.    António Ramos Rosa - Obra Poética I  Assírio & Alvim (2018)      
11 Out, 2019

sinuosos arpões

Num sinuoso acesso de dor  subia-se à felicidade como um peixe arpoado pela corola activa da fêmea. Ajoelho ante essa fúria sensual...      Paulo da Costa Domingos in CAMPO DE TÍLIAS     Paulo da Costa Domingos – Carmina (1971-1994) Antígona (1995)      
10 Out, 2019

dínamo

Sinto profusamente aquilo que se furta às palavras mas não ao entendimento. Sinto as fases do teu corpo como um dínamo de luz a atravessar o meu peito.    Paulo da Costa Domingos in CAMPO DE TÍLIAS     Paulo da Costa Domingos – Carmina (1971-1994) Antígona (1995)      
10 Out, 2019

só com loucos

Perfeitamente desesperado é o meu sonho  Os pássaros insultam-me na cama Só com doidos com doidos amaria  perfeitamente presente na frescura do mar    António Ramos Rosa - Obra Poética I  Assírio & Alvim (2018)        
09 Out, 2019

não saber ganhar

Porque não soube merecer a glória, a mais suave de me deitar a teu lado e que do sangue a palavra abolisse a diferença entre o meu corpo e a minha voz porque te perdi  não sei quem sou      António Ramos Rosa - Obra Poética I  Assírio & Alvim (2018)