Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

22 Out, 2019

tempo

  Põe o tempo o cuidado que ignora o ouvido e que o livro não dá. É dele este silêncio, este saber, este ouvir e calar. (...) É dele o pouco a pouco, o aproximado, o justo.  (...) É doce e grande  o tempo. (...) Põe o tempo o cuidado. Mas não põe as estrelas.   Perde o olhar o brilho. Mas o mar não se perde.        António Ramos Rosa in Antecipação à Velhice - Obra Poética I Assírio & Alvim (2018)        
Dou-te um nome de água para que cresças no silêncio.   Invento a alegria da terra que habito porque nela moro.   Invento do meu nada esta pergunta. (Nesta hora, aqui.)   (...)   Amor, eu sei que vives num breve país.   Os olhos imagino e o beijo na cintura, ó tão delgada.   Se é milagre existires, teus pés nas minhas palmas.  Ó maravilha, existo  no mundo dos teus olhos.   Ó vida perfumada cantando devagar.   Enleio-me na clara dança do teu (...)
Cada blanco en mi mente Se vuelve color con verte Y el deseo de tenerte Es más fuerte es más fuerte Solo quiero que me lleves De tu mano por la senda Y atravesar el bosque Que divide nuestras vidas Hay tantas cosas Que me gustan hoy de ti Me enamora Que me hables con tu boca Me enamora Que me eleves hasta el cielo Me enamora Que de mi sea tu alma soñadora La esperanza de mis ojos Sin ti mi vida no tiene sentido Sin ti mi vida es como un remolino De cenizas que se van, oh Volando con el viento (...)
14 Ago, 2018

olhos repletos

os olhos repletos de coisas dão cabo do que se ouve.      Afonso Cruz - Jesus Cristo Bebia Cerveja (2012) Penguin Random House (2016)
Um Mestre da sabedoria passeava por uma floresta com seu jovem discípulo, quando avistou ao longe um sítio de aparência pobre, e resolveu fazer uma breve visita. Durante o percurso ele falou ao aprendiz sobre a importância das visitas e das oportunidades de aprendizado que temos, também com as pessoas que mal conhecemos. Chegando ao sítio constatou a pobreza do lugar, sem acabamento, casa de madeira e os moradores, um casal e três filhos, vestidos com roupas sujas e rasgadas. (...)
30 Mai, 2018

de ser como se é

Aquela cara de feições enormes, de gigante triste, volta-se de vez em quando para a multidão dos visitantes que estão para lá do vidro, a menos de um metro de distância; um lento olhar carregado de desolação de ser como se é, único exemplar no mundo de uma forma não escolhida, não amada, todo o cansaço de se carregar sobre os ombros a sua própria singularidade, todo o desgosto de ocupar o espaço e o tempo com a sua própria presença, tão embaraçante e tão vistosa.