Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

O pai, exímio tocador de cavaquinho e harmónica, era o chefe de uma banda familiar onde todos cantavam e dançavam, congregando, mesmo em alturas mais difíceis, um clima de festa que filho algum conseguiu esquecer.      Manuela Gonzaga – António Variações, Entre Braga e Nova Iorque (2018) Manuela Gonzaga e Bertrand Editora (2018)        
Com as portas abertas eu sou o mar que entra.  Mas sem esquecer o sangue, eu escuto e sei e espero.    António Ramos Rosa - Obra Poética I  Assírio & Alvim (2018)      
it had identified just more than 56,000 first responders, volunteers and others with health problems stemming from 9/11. By March of 2019, that number had risen to more than 95,000, with roughly 500 to 900 new cases being identified each month. The program has identified 2,355 deaths associated with 9/11-related health problems. That's nearly as many as died at the World Trade Center because of the crashes. Chronic and debilitating problems with sinuses, reflux and asthma are the (...)
26 Jun, 2019

glórias alheias

Os soldados de Mafra estão já no limite daquilo que os generais esperam deles, porque são o povo. E todos os povos regressados à condição de rebanho se cansam de morrer em seu próprio nome, quanto mais por uma glória que os deixa no anonimato. Nas pequenas misérias do dia-a-dia, num pequeno burgo dos confins da Península, os libertadores vão descobrindo o seu cansaço e amolecendo numa missão que se esfuma na sua condição de estrangeiros, condição que os povos (...)
20 Mar, 2019

matar

Que a tristeza te convença Que a saudade não compensa E que a ausência não dá paz E o verdadeiro amor de quem se ama Tece a mesma antiga trama Que não se desfaz E a coisa mais divina Que há no mundo É viver cada segundo Como nunca mais...   Vinicius de Moraes      
18 Fev, 2019

na distância

Todos te viram ninguém te viu e foi então que vi eras tu não eras tu jamais e eras tu e sem nome na tua boca sem tua boca eu vivi na distância inerte e nu    António Ramos Rosa - Obra Poética I  Assírio & Alvim (2018)