Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

muita coisa vai e outra tanta que não fica


Cecília

10
Mai19

O criado, de libré, calção de baeta e meia branca, vem anunciar que está lá fora o Raimundo, aprendiz do Convento. Dona Beatriz poisa o bastidor. Que o mande entrar para o vestíbulo. Quem é? - pergunta dom António, atrás da Gazeta de Lisboa de há três dias. O Raimundo da Anunciação, um rapaz de muito talento, ajudante de mestre Cyrillo, que nos pintou aquele fresco no coro da capela, vai para dois anos. 

Raimundo da Anunciação compôs quanto pôde o fato coçado, limpou da lama os sapatos cambados e as solas rotas vê-las-ia o chão se tivesse olhos. Dobra a magreza numa vénia angulosa e, com perdões pelo incómodo, atira-se à descrição das misérias, as suas e as dos outros três ajudantes da escola de artes que, aliás, já se preparam para abalar. Suas majestades partiram, como Vossa Excelência sabe, e deixaram por pagar mestres e ajudantes. Bem, os mestres foram para Lisboa, onde há sempre quem lhes encomende um retábulo, um retrato, seja quem for que por lá mande. Mas nós, minha senhora, estamos à esmola de uma sopa e temos à nossa guarda coisas preciosas, enfim, obras acabadas ou começadas por mestre Cyrillo, do Taborda, do Calisto, do Piolti, do Sequeira, do Machado de Castro, até uma escultura de mestre Giusti das últimas que fez antes de cegar (...) Muita coisa vai na carga dos barcos para o Brasil - acrescenta. - Até aqueles seis quadros sobre a conquista da Índia, mas não puderam levar tudo. 

 

Álvaro Guerra – Razões de Coração (1991)
Coleção Mil Folhas PÚBLICO (2002)

 

 

 

tocadas pela música


Cecília

25
Mar19

método de ensino da música criado pelo compositor e pedagogo húngaro Zoltán Kodály (1882-1967), o responsável por todas as crianças húngaras aprenderem música na escola desde o infantário até ao fim do liceu (antes da entrada do país na União Europeia em 2004, as aulas de música eram diárias em mais de uma centena de escolas). E fazem-no ainda hoje através do canto do cancioneiro de música erudita e música tradicional do seu país. Essa que Kodály recolheu com o seu amigo próximo, e também compositor, Béla Bartók (...)

de a educação musical ser para todos, e não para uma elite. O que me fez gostar imenso do sistema da Hungria foram frases como a de Kodály, em que ele diz que "só os melhores professores e só a melhor música deve ser dada às crianças" (...)

"Se quiser, tudo o que seja levar a música às crianças e tê-las envolvidas a fazer musica, pode ser Kodály. Mas também é Orff, Dalcroze, Willems [compositores e pedagogos]. Na maior parte das pedagogias os princípios são muito parecidos, depois há uma ou duas técnicas que variam, mas o que estas pessoas querem é que todas as crianças sejam tocadas pela música, e de uma forma que também desenvolvam capacidades individuais e sociais. É curioso porque a primeira tranche de pedagogos é quase da mesma idade. Têm as ideias do seu tempo. O que esta geração que sobreviveu às duas guerras queria era paz. Os escritos do Kodály e do Bártok falam imenso da fraternidade entre os povos" (...) E reforça: "Para acabar com estes ciclos de líderes da Coreia do Norte, ou dos Estados Unidos, ou de pessoas desvairadas que usam uma metralhadora e matam dezenas de pessoas. Acho que não aprenderam a gostar dos outros, e a ter um objetivo comum."

in https://www.dn.pt/artes/interior/kodaly-ensinar-musica-as-criancas-e-evitar-um-novo-kim-il-sung-8860801.html

 

 

Béla Bartók

( 25 de março, 1881 – 26 de setembro, 1945)

 

 

 

até que


Cecília

15
Mar19

... até que um dia 

já não terá sentido o amanhã.

 

 

Primo Levi – Se Isto É Um Homem (1947)
Coleção Mil Folhas PÚBLICO (2002)

 

 

 

 

(regresso) à escola (da vida)


Cecília

12
Set18

When I was a boy in school
Learning the Golden Rule
I had a crush on my teacher
She was a beautiful creature

When I look at kids today
I think of how we used to play
She taught all us boys and girls
This little song about the real, real world
She said now class

If it will it will, and if it won't it won't
If it does it does, yeah if it don't it don't
Some days are good some bad you know
That's the way it goes

Give the wheel of life a spin, see where it lands
Let your spirit fly free, enjoy yourself while you can
Don't be in a hurry and don't ever make plans

'Cause if it will it will, and if it won't it won't
If it does it does, hey if it don't it don't
Life is not always so smooth
And Murphy's Law is gonna rule

You know the river's gonna flow, wherever it wants to go
And if the rain wants to fall, you can't stop it at all
No one has ever had control over this world, don't you know?

'Cause if it will it will, and if it won't it won't
(If it will it will, if it won't it won't)
If it does it does, and if it don't it don't
(If it does it does, if it don't it don't)
Life is not always so smooth
And Murphy's Law is gonna rule

'Cause if it will it will, and if it won't it won't
(If it will it will, if it won't it won't)
If it does it does it does, if it don't it don't
(If it does it does, if it don't it don't)
No one has ever had control over this old world don't you know, ain't it so?

(If it will it will, if it won't it won't)
(If it does it does, if it don't it don't)

 

 

 

dites-moi comment ça marche


Cecília

28
Jun18

Ela caminha

Nós vemos a nossa vida passar

No fio

Nós vemos os anos passarem

Nós tentamos seguir o caminho certo

E nós não podemos rebobinar

Todos esses nós em nossas vidas

Se pudéssemos desamarrá-los

Então me diga como funciona

Me diga como funciona

Me diga como funciona

Me diga como funciona


De qualquer forma, andamos em fila

Em grupos ou não, caminhamos sozinhos

Goste ou não, temos um valor de mercado

da juventude até a mortalha

Caminhe ou morra, mas caminhe em linha reta

ande de ré ou não trabalhe

E os negócios, como vai

Saúde, família e o resto, como vai

Me diga como funciona

Me diga como funciona

Eu sei que nem sempre é do jeito que queremos

Nem sempre como desejamos

mas eu gostaria de alguns dos velhos dias felizes

Me diga como funciona


Eu me pergunto depois de todos esses anos

de novo e de novo

Eu sei onde estou indo mas não onde eu quero ir

Eu sinto que se eu me soltar

isso não me faria mal

Eu faria bem em arriscar, estaria errado em não tentar

Se eu quisesse eu poderia até parar, voltar atrás

Além disso as barreiras

precisam sempre ser superadas

Por que tenho medo de ser esmagado

por quem e pelo quê?

Eu não sei, mas o que eu sei é que

se estou com medo, é porque eu não sou o último

Como se houvesse apenas um destino, apenas um lugar

Apenas uma estrada para onde deveríamos ir

eu ficaria surpreso

Tudo que eu sei é que eu não sei, eu vou passo a passo

Sim, passo a passo

sim passo a passo


Eu vou passo a passo

(passo a passo, passo a passo, passo a passo)

Eu vou passo a passo

Tudo que eu sei é que eu não sei

Eu vou passo a passo

(passo a passo, passo a passo, passo a passo)


A cabeça dela em seu telefone

Sem fones de ouvido, acharíamos que ela é louca

Sem o Google, acharíamos que ela é burra

E sem filtros, acharíamos que é bonita

É muito fácil julgar, é muito fácil julgar

Se o objetivo dela na vida é se parecer com a Gigi

Mas sem cirurgia é mais Gégé que Gigi

Se a escola nos ensinou como fazer lindas selfies

Para ter um melhor começo de vida

para ter um melhor começo de vida

Sem saber para onde estamos indo, onde estamos

Sem saber onde nós terminaríamos

Sem saber onde estamos, para onde vamos

Sem saber onde vai acabar

A cabeça dela em seu telefone

Sem fones de ouvido, acharíamos que ela é louca

Sem o Google, acharíamos que ela é burra

E sem filtros, acharíamos que é bonita


O que importa é o que está em nossos coração

e é isso que importa

Dinheiro não faz felicidade não

ele é usado para fazer bombas

Para ser bonita quando se tem dinheiro (temos dinheiro)

é mais fácil né

O dinheiro apodrece as pessoas

e as torna bonitas ao mesmo tempo, é fascinante

Nós não somos todos iguais em questão beleza Corrigir

é tão fácil ser arrogante quando as vemos caminhar

Jovem, antes de aprender um trabalho

Você precisa primeiro aprender

como retocar a foto de um currículo


A cabeça dela em seu telefone

Sem fones de ouvido, acharíamos que ela é louca

Sem o Google, acharíamos que ela é burra

E sem filtros, acharíamos que é bonita

https://www.vagalume.com.br/stromae/defiler-traducao.html

 

Elle défile

On voit nos vies défiler

Sur le fil

On voit les années filer

On essaye de filer droit

Et on n'peut pas rembobiner

Tout ces nœuds dans nos vies

Si on pouvait les dénouer

Alors dites-moi comment ça marche

Dites-moi comment ça marche

Dites-moi comment ça marche

Dites-moi comment ça marche


De toute façon, on marche dans les rangs

En groupe ou pas, on marche seul

Qu'on l'veuille ou pas on a une valeur marchande

du plus jeune âge au linceul

Marche ou crève mais marche droit

marche à l'envers ou ne marche pas

Et le business, ça marche

La santé, la famille et le reste, ça marche

Dites-moi comment ça marche

Dites-moi comment ça marche

Je l'sais qu'ce n'est pas toujours comme on le veut

Pas toujours comme on l'souhaite

mais je voudrais de vieux jours heureux

Dites-moi comment ça marche


Je me demande après toutes ces années

encore et encore

Je l'sais bien là où je ne vais pas

mais pas encore là où je voudrais aller

Je me doute bien qu'si je me laisse aller

ça me ferait pas tort

Je ferais bien de franchir le pas

en tout cas j'aurais tort de ne pas essayer

Si j'voulais j'pourrais même m'arrêter

faire machine arrière

D'ailleurs pourquoi les barrières

devraient être toujours dépassées

Pourquoi j'ai peur d'être dépassé, par qui et par quoi?

Je ne sais pas mais c'que je sais

c'est que si j'ai peur c'est que j'suis pas l'dernier

Comme si y'avait qu'une arrivée, qu'un seul endroit

Qu'une seule route où on devrait aller, ça m'étonnerait

Tout ce que j'sais c'est qu'je sais pas, j'y vais pas à pas

Ouais pas à pas, ouais pas à pas


J'y vais pas à pas

(pas à pas, pas à pas, pas à pas)

J'y vais pas à pas

Tout ce que j'sais c'est qu'je sais pas

J'y vais pas à pas

(pas à pas, pas à pas, pas à pas)


La tête dans son téléphone

Sans écouteurs, on la croirait folle

Sans Google, on la croirait conne

Et sans filtres, on la croirait bonne

C'est trop facile de juger, c'est trop facile de juger

Si son but dans la vie c'est de ressembler à Gigi

Mais sans chirurgie c'est plus Gégé que Gigi

Si l'école nous apprenait à faire des beaux selfies

Pour mieux démarrer dans la vie

pour mieux démarrer dans la vie

Sans savoir où on va, où on est

Sans même savoir où on finirait

Sans savoir où on est, où on va

Sans même savoir où ça finira

La tête dans son téléphone

Sans écouteurs, on la croirait folle

Sans Google, on la croirait conne

Et sans filtres, on la croirait bonne


C'qui compte c'est c'qu'on a dans l'cœur

et c'qu'y a sur le compte

L'argent ne fait pas le bonheur non

il sert à fabriquer des bombes

Être belle quand on a de l'argent (on a de l'argent)

c'est plus facile nan

L'argent pourrit les gens

et il les rend beau en même temps, c'est fascinant

On n'est pas tous égaux face à la beauté

c'est si facile d'être gros quand on les voit défiler

Petit, avant d'apprendre un métier

Faut d'abord apprendre

à retoucher la photo d'un Cv


La tête dans son téléphone

Sans écouteurs, on la croirait folle

Sans Google, on la croirait conne

Et sans filtres, on la croirait bonne

 

da importância da educação / ensino


Cecília

17
Mai18

a educação privada é intolerável nas famílias degeneradas, entregues a maus hábitos e imbuídas de maus princípios. Mais vale o abominável regime do colégio. 

No seio das famílias honestas e tranquilas, porém, deveria ser um dever ficar com a guarda das crianças e não as obrigar a aprender os factos da vida num colégio onde a igualdade só existe à lei da pancada, onde a disciplina é embrutecedora, onde a autoridade é brutal, pueril e tacanha - já para não mencionar os vícios que proliferam em todas as instituições do género. Hoje em dia, contudo, parece que a educação moral já não é necessária ao homem; parece que todos preferem refugiar a vida na inteligência e virar as costas ao coração. No que respeita às crianças inteligentes, tudo o que o que o colégio consegue desenvolver é o orgulho e o amor-próprio. Já as crianças não-inteligentes, essas ficam-se pelos instintos vis e grosseiros. Em todas, mesmo nas naturezas mais naturalmente generosas que essa detestável educação não consegue corromper por completo, é a vaidade que se sobrepõe a tudo o resto (...) 

A melhor educação possível passaria por uma soma perfeitamente combinada de conhecimentos (...) pelo verdadeiro progresso do coração: a intensa estimulação dos sentimentos (...) do sentido de justiça, de elevação moral, de gratidão, de boa-fé, de dedicação. Um tipo de ensino dotado de poder persuasivo (...) pois, se não bastar a palavra, resta-nos o exemplo. O homem mais modesto, a mulher menos culta, qualquer pai ou mãe poderá oferecê-lo ao seu filho (...) 

Necessário seria, sobretudo, conhecer o carácter de uma criança, fazer com que também se conhecesse a si mesma, e tão profundamente que se sentisse forçada a reconhecer a verdade pelo menos para si própria; chamar a atenção dela para os seus defeitos, fazer-lhe notar os insucessos e as vitórias, encorajar a sua progressão no caminho do bem. Se a criança for ávida de ciência, devemos tentar refreá-la, mostrar-lhe que a inteligência de nada serve sem a bondade, sem a virtude, sem o amor. No caso de se revelar indolente mas doce e afectuosa, é necessário que compreenda que se deve instruir e cultivar por amor àqueles que a educam, e transformar o desenvolvimento da sua inteligência num sacrifício, num acto de completa dedicação (...) há que habituar as crianças a explicarem com arrojo aquilo que conhecem bem e desvalorizar-lhes o pretensiosismo quando falam do que não conhecem de todo, ou do que conhecem mal. Fazer por ridicularizar, sem compaixão, a sua apetência pelo poder. Ridicularizar igualmente os seus apáticos desalentos, pretexto para a indolência (...) O afecto do apreço, da confiança, do discernimento, que fará com que os apuremos segundo o seu mérito, e que os tratemos como o fardo ou o sustentáculo da família, conforme a fraqueza ou a força demonstradas, a dedicação ou o egoísmo (...) O dos colegas, que tendem a arrancar dos outros uma vã honra pública alardeando uma aclamação visível, é o sentimento mais daninho e perverso que podemos fazer eclodir no homem. A criança que triunfa graças à derrota dos seus colegas, e que se alegra em ser coroada em público com mais um louro no alto da cabeça, não passará de um poeta despeitado, um artista invejoso e fingido, um deputado entufado de tola popularidade, um empregado cheio de nula importância, um falso legitimista, um falso doutrinário, um cidadão sem espírito de fraternidade, devoto à pátria apenas devido às recompensas que dela obterá, um orador mais interessado em bem falar do que em demonstrar o bom princípio, um agricultor mais preocupado em alinhar as árvores e em fazer gala de uma manada ostentosa do que em melhorar as suas terras e naturalizar as espécies verdadeiramente adequadas aos seus terrenos, ou seja, um homem desprovido de consciência, de bondade, de genuíno pundonor, cuja utilidade reverte, quando muito, apenas para si mesmo, inútil aonde quer que vá, prejudicial ao bem alheio, e infeliz, caso a sua vaidade não seja satisfeita por um êxito proporcional à sua ambição, ou, caso o seja, perverso, despótico, injusto. 

 

 

George Sand – Diário Íntimo

Antígona (2004)