Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

10 Out, 2019

dínamo

Sinto profusamente aquilo que se furta às palavras mas não ao entendimento. Sinto as fases do teu corpo como um dínamo de luz a atravessar o meu peito.    Paulo da Costa Domingos in CAMPO DE TÍLIAS     Paulo da Costa Domingos – Carmina (1971-1994) Antígona (1995)      
Uma certa atenção treinada pela História poderia discernir neste jovem par (...) o toque subtil da decadência precoce, o drama de uma geração que já não pertence ao passado mas dele traz a herança suficiente para sentir que falhou o futuro.    Álvaro Guerra – Razões de Coração (1991) Coleção Mil Folhas PÚBLICO (2002)      
17 Jul, 2019

i.

O capitão de Intendência Octave Rigault é um maníaco das cifras. O Palácio-Convento tornou-se para ele um desafio e uma guloseima. Andou dois dias de nariz no ar, a rondá-lo, contornando-o lentamente, a determinar numericamente a sua vastidão imponente e desengraçada, calculando a passos, com pequena margem de erro, 40 000 metros quadrados monumentais e contando, como maior cuidado e interesse, as suas 4500 portas e janelas (...) Estando excluído o interesse do curioso capitão (...)
24 Jul, 2018

Amelia Earhart

  Courage is the price that Life exacts for granting peace. The soul that knows it not Knows no release from little things: Knows not the livid loneliness of fear, Nor mountain heights where bitter joy can hear The sound of wings. How can life grant us boon of living, compensate For dull gray ugliness and pregnant hate Unless we dare The soul's dominion? Each time we make a choice, we pay With courage to behold the resistless day, And count it fair.     Courage -  Poem by Amelia Earhart   (...)
 Edgar António de Mesquita Cardoso (11 de Maio, 1913 — 5 de Julho, 2000)     Considerado um dos maiores engenheiros portugueses do século XX, grande parte das pessoas que conheceram Edgar Cardoso lembram-no como um homem de grande tenacidade e capacidade inventiva. Com um espírito aberto, o “engenheiro das pontes”, como ficou conhecido, procurou sempre a inovação, tentando ultrapassar tudo aquilo que já estava feito. “Eu não faço uma ponte igual à outra”, dizia, (...)