Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

nenhuma a que valha a pena responder

Não podemos estar cansados de uma miríade de coisas? Cansados de nos levantarmos todas as manhãs e de nos deitarmos todas as noites; cansados de ter calor o Verão inteiro e frio no Inverno... Cansados de nos fazerem perguntas atrás de perguntas e nenhuma a que valha a pena responder... 

 

 

George Sand – Diário Íntimo

Antígona (2004)

 

 

 

As Engomadeiras - 1884.86

Edgar Degas

 

Annelies Marie Frank

 

0929317.jpeg

 Annelies Marie Frank (Anne Frank)

(12 de junho, 1929 – fevereiro, 1945)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Otto Frank

(12 de maio, 1889 – 19 de agosto, 1980)

 

 

 

 

 

 

                                                                                                   Bernhard Paul “Buddy” Elias

                                                                                  (2 de junho,1925 – 16 de março, 2015)

 

 

 

 

                       

 

 

 

 

Que aqueles que me amam possam viver mais tempo do que eu! 

 

 

George Sand – Diário Íntimo

Antígona (2004)

 

 

 

o desgosto

Um único desgosto: o género humano, cada vez pior, as sociedades que parecem virar as costas ao progresso, mas quem sabe o que esconde tal atonia? Que despertar se encontra latente por detrás de tal torpor? 

 

 

George Sand – Diário Íntimo

Antígona (2004)

 

 

 

 

 

 

 

velhice

É errado pensar que a velhice é um declive por onde vamos caindo: muito pelo contrário, subimos, e a passos largos, surpreendentes. O trabalho intelectual faz-se tão rapidamente como nas crianças o trabalho físico. Não é que não nos aproximemos do fim da vida, mas fazemo-lo como se fosse um objectivo, e não o derradeiro e fatal baixio onde encalharemos para sempre. 

 

 

George Sand – Diário Íntimo

Antígona (2004)

 

 

 

les-vieux-amants-1464870676.jpg

 

felicidade perpétua

A satisfação de uma paixão absolutamente pessoal é embriaguez ou prazer: não é felicidade. 

A felicidade é algo duradouro e indestrutível; caso contrário, não seria felicidade. A queles que gostariam de perpetuar a embriaguez e de incluir nela a felicidade, andam atrás do impossível. 

 

 

George Sand – Diário Íntimo

Antígona (2004)