Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

  Uma pequena ponte, uma lâmpada, um punho, uma carta que segue, um bom dia que chega, hoje, amanhã, ainda, a vida continua, no silêncio, nas ruas, nos quartos, dia a dia, nas mãos que se dão, nos punhos torturados, nas frontes que persistem.    António Ramos Rosa in NÓS SOMOS - Obra Poética I Assírio & Alvim (2018)     L'échappée belle Brigitte Sanchez  
09 Dez, 2019

modernidade

Voltando a citar Pinker: «A aversão à modernidade é uma das grandes constantes da crítica social contemporânea. Quer seja a nostalgia pela intimidade das cidades pequenas, pela sustentabilidade  ecológica, pela solidariedade comunitária, pelos valores familiares, pela fé religiosa, pelo comunismo primitivo ou pela harmonia com os ritmos naturais, todos querem que o relógio retroceda. O que a tecnologia nos deu, questionam eles, excepto a alienação, a espoliação, a patologia (...)
30 Nov, 2019

o maior tesouro

  A juventude num velho é o seu maior tesouro. E o mais notável é que todos tivemos uma infância, todos podemos regressar a essa infância e criar a partir desse retorno um mundo melhor.      Afonso Cruz_ O macaco bêbedo foi à ópera - Da embriaguez à civilização (2019) Fundação Francisco Manuel dos Santos e Afonso Cruz (2019)      
O exercício de prever é uma espécie de loucura, exige a invenção de hipóteses, de sair do cadinho dos factos para abraçar a possibilidade. Existe aqui o evidente paradoxo de a loucura ser o oposto da temperança, mas há que usar a regra de Paracelso: a diferença entre veneno e remédio é a dose.    Afonso Cruz_ O macaco bêbedo foi à ópera - Da (...)
06 Set, 2019

procura

vem a ventura a quem a procura    Álvaro Guerra – Razões de Coração (1991) Coleção Mil Folhas PÚBLICO (2002)      
13 Jun, 2019

gémeas antoninas

Se não fosse demasiado crescida para essas coisas (...) - Nunca somos demasiado crescidas para isso, minha querida, porque é algo que estamos sempre a fazer, de uma forma ou de outra. Os nossos fardos estão aqui, neste mundo, o caminho estende-se à nossa frente, e desejar a bondade e a felicidade é o que nos ajuda a ultrapassar as dificuldades e os erros até atingirmos a paz   Louisa May Alcott – Mulherzinhas (1868) Oficina do Livro (2011)   13.06.2017 Parabéns D. e L. Minha (...)
Recomeça... se puderes, sem angústia e sem pressa e os passos que deres, nesse caminho duro do futuro, dá-os em liberdade, enquanto não alcances não descanses, de nenhum fruto queiras só metade.   Miguel Torga    
06 Mai, 2019

saudade

Saudade é quando o momento Tenta fugir da lembrança Para acontecer de novo e não consegue.   Adriana Falcão