Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

13 Nov, 2019

atitude

se não gostas de uma pessoa, afasta-te dela e deixa-a ir à sua vida.   Wray Delaney - Memórias de Uma Cortesã  (2016) Quinta Essência, Oficina do Livro (2017)      
Com as portas abertas eu sou o mar que entra.  Mas sem esquecer o sangue, eu escuto e sei e espero.    António Ramos Rosa - Obra Poética I  Assírio & Alvim (2018)      
02 Ago, 2019

ecos

Ao contrário de todo mundo, que fica se ressentindo 'porque ela me deixou, não sabe o que perdeu', eu não tenho medo de dizer: eu é que fui covarde e babaca.   Cazuza     Y ahora intenta decir que me amas Sin miedo a que parezca mentira otra vez Y no lo ves Digo yo que algo tendremos que hacer Borra de golpe Su nombre en mi nombre Y así lo olvidaré Y mira bien Mientras yo te reproche de más Y tu te escondas con la duda otra vez No quiero mas pulsos Hay tanto que perder Haz (...)
22 Jul, 2019

pedro(a)s

Conheci a maturidade infantil das crianças, mas também não é isso  (...) fartei-me de tentativas.   Desejo antes a ferida sólida que não sara, o enigma, essa coisa que se transporta inteira pelo Universo como o irreprimível grito do sangue no vento avisando o futuro de que não ficámos ilesos à espessa rede do Amor  (...) Aperta-me esse mitigado anel tão alto (...) porque a angústia, doce angor, e a esperança informam o meu sangue do regresso da tua ausência.   (...)
11 Jul, 2019

honra deliciosa

Vá Com Deus Vanessa da Mata (Sereia de Água Doce)   Vejo o povo dizer Que perdeu um amor Que quando estava lá Só rimava com dor Isso não é perda Isso é livramento Nesse mundo tonto Que vive rodando Vejo tanta gente desesperada Criando histórias Criando pessoas Criando paixões Medo da solidão Qual é o problema De estar na sua própria companhia? Vi um casal com sangue Ligação de ódio Eu sei que os dois Já não viviam Andavam nas ruas Meio mortos vivos Até que (...)
o único meio de sacudir tragédias e enfrentar desgraças é encará-las de frente e de coração ao alto. E, virando-se para o defunto no retrato, arranca a confirmação: Sabes bem, ó Sarmento, que sempre fui mulher de honra e de coragem! Se Deus te tragou nas ondas do mar, foi porque achou ser eu capaz de governar-me sozinha!    Álvaro Guerra – Razões de Coração (1991) Coleção Mil Folhas PÚBLICO (2002)        
Sounds very Simple to do, To Kiss me Quick But your Love must be True And to catch me, is the Trick When our lips do Meet I know it will be such a Treat For me as well as You Nice and wet like the Morning Dew Lips twisting and Turning For more defiantly Yearning And I'll probably want a Lot Once I have Been Caught   David Darbyshire - Kiss Me Quick    Na Cama, O Beijo - 1892 Henri de Toulouse-Lautrec  
Mariana vai suportando cólicas no estômago, presume que por causa do nervoso, da ansiedade, zangada consigo mesma por ter cedido àquelas crendices que insultam a ciência e exploram as superstições dos néscios. Por que viera, então? Pelas mesmas razões que ali levam os outros, pelo desespero. A irritação que sente é por causa de ter esperança e de não a ter, de não ser capaz de manter a linha da razão, de vir à bruxa depois de se rojar aos pés da Virgem na igreja do (...)
08 Abr, 2019

tempo da cura

e eu de olhos fechados e nuca apoiada na parede a rezar uma Avé Maria que tinha obrigação de pôr as coisas em ordem e não punha      António Lobo Antunes – A Última Porta Antes da Noite (2018) Publicações Dom Quixote (2018)