Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

(covid, oms, gds, ordem dos médicos, app) entretanto, no mundo...

Cecília, 21.10.20

Petition for President Buhari to be charged before the ICC for crimes against humanity.

fotong.png

Soldiers shot at Nigerians protesting against police brutality, Amnesty International says

 

Quisiera de mi mente se borrara

aquello que pasado no se olvida:

El odio del hombre que por vida

con sangre de inocentes se gozara. 

[...]

en entraña de gente enloquecida,

la suma de los muertos que ganara. 

 

 

Antonio Portero Soro – Signo de vida (1999)

J.A. Ferrer-Sama y J. Ramírez, Editores Asociados (1999)

 

 

a(s) verdadeira(s) mudança(s) envolvendo milhões

(e estúdios eco, já agora)

Cecília, 14.10.20

não quero navegar num mar fácil de palavras 

 

António Ramos Rosa in O PAPEL, A MESA, O SOL, A PENA... - Obra Poética I

Assírio & Alvim (2018)

 

 

patamares de consciência

Cecília, 06.10.20

https://www.facebook.com/BlackOnBlackCtv/videos/3336583673029763/

 

Se você fica neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado do opressor.

Desmond Tutu

 

frases-clebres-contra-el-racismo-11-638.jpg

basta estudar.jpg

 

apostar na equipa certa

Cecília, 02.04.20

Mas em 1983 e em 1984, as autoridades responsáveis pela saúde dos portugueses não estavam informadas, logo, não sabiam como encarar o problema. Portanto, desmentem-no. A sida não existe. A exstir, é noutros países. Não há pragas nem epidemias. O director do Instituto Nacional do Sangue multiplica-se em entrevistas e vai à televisão desmentir a gravidade da situação e pedir às pessoas para não se preocuparem porque Portugal era um país de bons costumes. Só uma mulher, investigadora, estava atenta, e, pior do que isso, preocupadíssima. Odete Santos tinha ouvido falar da doença em 1983, num congresso em Lausanne, na Suíça, para onde foi a convite da maior especialista mundial em infeções hospitalares, que lhe diz: «Se for o que a gente pensa, vai ser uma desgraça!» Odete Santos, que trabalhava com o Instituto Pasteur, em Paris, pediu para ser apresentada ao professor Montagnier, o virologista francês que isolara o vírus... e contra tudo e contra todos iniciou uma batalha pelo conhecimento da doença, em Portugal... Numa enorme solidão, como ela própria admite, a cientista foi discriminada. As pessoas chegavam a mudar de passeio para não lhe falarem... Mas em 1985, com uma equipa diminuta na Faculdade de Farmácia, Odete Santos entra para a História da Medicina ao isolar o VIH-2... (...) A partir daí, a sida, em Portugal, não apenas existe como tem direito a bilhete de identidade. 

 

Manuela Gonzaga – António Variações, Entre Braga e Nova Iorque (2018)
Manuela Gonzaga e Bertrand Editora (2018)

 

 

 

abençoada por não acreditar

Cecília, 19.12.19

Um terramoto atingiu Londres quando eu tinha onze anos. O mundo abanou, caíram louças das prateleiras, utensílios, vidraças racharam-se e as pessoas correram para as ruas, gritando que era castigo de Deus. Infantilmente, encontrei conforto no tremer da terra. A ideia de que existia uma força maior do que a insignificância de homens e mulheres agradou-me. Nos dias que se seguiram ao terramoto, os arautos da desgraça anunciaram que pecados de Londres eram responsáveis pela terrível calamidade e que o fim do mundo estava próximo. Se eu acreditasse num Deus vingativo, coisa em que me sinto abençoada por não acreditar, talvez tivesse pensado que (...) fosse um castigo 

 

Wray Delaney - Memórias de Uma Cortesã  (2016)

Quinta Essência, Oficina do Livro (2017)

 

W. Chimobi

Cecília, 10.12.19


Before you came,
things were as they should be:
the sky was the dead-end of sight,
the road was just a road, wine merely wine.

Now everything is like my heart,
a color at the edge of blood:
the grey of your absence, the color of poison, of thorns,
the gold when we meet, the season ablaze,
the yellow of autumn, the red of flowers, of flames,
and the black when you cover the earth
with the coal of dead fires.

And the sky, the road, the glass of wine?
The sky is a shirt wet with tears,
the road a vein about to break,
and the glass of wine a mirror in which
the sky, the road, the world keep changing.

Don't leave now that you're here—
Stay. So the world may become like itself again:
so the sky may be the sky,
the road a road,
and the glass of wine not a mirror, just a glass of wine.

 


Faiz Ahmed Faiz - 1911-1984

 

 

 

 

 

the enemy is invisible, but the battle is real

Cecília, 21.03.19

Toda manhã na africa, a gazela acorda. Ela sabe que precisa correr mais rápido que o mais rápido dos leões para sobreviver.

Toda manhã um leão acorda. Ele sabe que precisa correr mais rapido que a mais lenta das gazelas senão morrerá de fome.

Não importa se você é um leão ou uma gazela.

Quando o sol nascer, comece a correr.

 

Provérbio africano

 

 

Mu kanganhisse wa minssava
hinkwayo, yo kala yinga xiyi
Hi madimoni yawena la makulo,
a nala anga
vonakali kambe a yimpi i ya ntiyisso
Unga lá ndzita sathana hi ku ungamu zandza
Unga landzi sathana hiku Unga mu navela
Mati yo daha
Mati yo Hu luta

 

 

Deceiver from all over the world,
Dashing on earth with his mighty demons,
The enemy is invisible, but the battle is real.
Do not go after the Devil, because you may like it,
Do not go after the Devil, because you may need
(Come) with your healing water, water that saves, water that cleans,
The spirit, mind and body

 

evolucionismo I

Cecília, 30.05.18

Como a palavra indica, o Evolucionismo sustenta que a natureza evolue, isto é, caminha para diante, muito embora hoje em dia todos sintamos a vida a andar para trás

 

 

Vilhena – História Universal da Pulhice Humana (1960/1961/1965)
Edição Completa, Integral e Nunca Censurada dos Três Volumes Originais Pré-História / O Egipto / Os Judeus

Herdeiros de José Vilhena / SPA 2015, E-Primatur (2016)