Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

19.07.18

intelectual com bolsos


Cecília

isso é bom para burgueses decadentes. Eu sou um intelectual do povo, estás a ver? A minha única parte capitalista são os bolsos. O resto é completamente de esquerda. 

 

 

Afonso Cruz - Jesus Cristo Bebia Cerveja (2012)

Penguin Random House (2016)

 

 

 

 

21.06.18

camelos de todos os desertos


Cecília

Aliás, esta falta de dinheiro (...) continuou a fazer-se sentir durante várias dinastias, andando até o faraó muito ralado por não poder elevar o nível de vida da população, sem fazer baixar o seu e o dos seus amigos.

Só na quarta dinastia houve massa para construir as pirâmides (...) tais obras de fachada sempre encheram de admiração e pasmo os camelos que circulam em todos os desertos 

 

 

Vilhena – História Universal da Pulhice Humana (1960/1961/1965)
Edição Completa, Integral e Nunca Censurada dos Três Volumes Originais Pré-História / O Egipto / Os Judeus

Herdeiros de José Vilhena / SPA 2015, E-Primatur (2016)

 

 

 

10.05.18

a problemática do arrendamento - e da habitação em geral


Cecília

Embora as ruínas das velhas cidades já não sirvam para nos elucidar sobre a qualidade e o aspecto das casas, os papiros falam-nos detalhadamente dos tormentos porque passava um egípcio de terceira classe para conseguir alugar (...) três assoalhadas no sexto esquerdo, sem elevador nem luz na escada. Quando adregava de encontrar uma dessas raras construções (...) com a curiosa designação de rendas limitadas (!) tinham que satisfazer as ilimitadas exigências do senhorio (...) Depois ia muito satisfeito instalar-se no corredor da casa, visto que os três compartimentos assoalhados eram subalugados a outras tantas famílias.

 

 

 

Vilhena – História Universal da Pulhice Humana (1960/1961/1965)
Edição Completa, Integral e Nunca Censurada dos Três Volumes Originais Pré-História / O Egipto / Os Judeus

Herdeiros de José Vilhena / SPA 2015, E-Primatur (2016)

 

 

 

05.04.18

todos querem ser chefes


Cecília

Todos querem ser chefes. Porque aqueles que se fazem escravos são cretinos e pedintes cujos patrões, quando se encontram frente a frente, se cumprimentam e se observam e se odeiam mutuamente. 

 

 

George Sand – Diário Íntimo

Antígona (2004)

 

 

 

22.02.18

Time's Up (and/or down)


Cecília

O profe apresentou a brasa. Era editora numa das grandes casas editoriais de Nova Iorque. 

- Oh, que coisinha doce - disse ele, aproximou-se e apertou-lhe a coxa direita. - Amo-te. 

- És rápido - disse ela. 

- Bem, sabes que os escritores têm sempre de beijar o cu dos editores. 

- Pensava que era o contrário-

- Não é. Quem passa fome é o escritor. 

 

Charles Bukowski in Grita Quando Te Queimares - Música para Água Ardente (1983)

Antígona (2015)

29.01.18

suficiente Vs suficiente


Cecília

O seu trabalho começava a incomodá-lo. Seis anos passados e nem um tostão no banco. É assim que nos agarram - dão-nos o suficiente para nos mantermos vivos, mas nunca nos dão o suficiente para podermos escapar de vez. 

 

 

Charles Bukowski in O Homem Que Adorava Elevadores - Música para Água Ardente (1983)

Antígona (2015)

 

 

 

 

 

 

 

10.01.18

suor e pão (sobreaquecidos)


Cecília

É a hora em que a multidão dos funcionários deixa os gabinetes sobreaquecidos, abotoa os casacos de peles de imitação e se encafua nos autocarros.

 

 

Italo Calvino – Se Numa Noite de Inverno Um Viajante (1979)
Coleção Mil Folhas PÚBLICO (2002)

 

 

 

 

 

 

19.10.17

futuro algum


Cecília

Frequentava a Feira Popular o Chico Soldador, que se aposentara do ofício quando percebeu ( alguns o percebem já muito tarde! ) que, neste risonho país, trabalhar não conduz a futuro algum e que a vida pode ser ganha muito mais agradavelmente por quem, como ele, tenha pinta de galã italiano, cabeleira à Tony Curtis, vício do jogo, das noitadas e outros vícios maiores.

 

 

Vilhena – Branca de Neve e os 700 anões  (1962)

Edição fac-símile, A Bela e o Monstro Edições / Rapsódia Final, Unipessoal lda (2014)

 

 

 

05.09.17

com o rio à porta


Cecília

 

Com a foz do rio à porta (...) a cidade transformou-se (...). «O Douro», escreveu Cruz Malpique, «foi que fez o Porto tal como foi, tal como é, tal como será sempre: trabalhador, independente, vigoroso, de falas desassombradas, de cerviz bem erguida, batendo o pé a todas as tiranias

 

 

Germano Silva e Lucília Monteiro – Porto, a Revolta dos Taberneiros e Outras Histórias (2004)

Editorial Notícias (maio 2004)

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D