Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

nina


Cecília

21
Fev17

Greed has driven the world crazy.

And I think I'm lucky that I have a place over here that I can call home. 

Nina Simone

(21 de fevereiro, 1933 – 21 de abril, 2003)

 

 

 

 

And now we got a revolution
Cause I see the face of things to come
Yeah, your Constitution
Well, my friend, its gonna have to bend
I'm here to tell you about destruction
Of all the evil that will have to end.
Some folks are gonna get the notion
I know they'll say I'm preachin' hate
But if I have to swim the ocean
Well I would just to communicate
Its not as simple as talkin' jive
The daily struggle just to stay alive
Singin' about a revolution
Because were talkin' about a change
Its more than just evolution
Well you know you got to clean your brain
The only way that we can stand in fact
Is when you get your foot off our back

 

Revolution - Nina Simone

bruno de nola


Cecília

17
Fev17

Ao peso da sua condenação se deverá, certamente, o silêncio quase total dos contemporâneos, quaisquer que fossem as suas razões - «alguns por medo, outros por remorso» - e as formas externas de que se revestiram: e que vão desde as versões piedosamente «atenuadas» do suplício (e não menos empenhadas em justificá-lo), à remoção do nome Frei Giordano «dos registos da Ordem de S. Domingos» e das Universidades e Academias em que tinha ensinado.

Silenciaram também o facto da sua morte, com unânime cumplicidade, não só «os escritores da história profana» - que não deixaram, porém, de relatar as condenações de outros heréticos «daquele fim de século» - como ainda «os da história eclesiástica» e até os que, em vida, o protegeram, lhe deram  hospitalidade e partilharam da sua amizade.  

 

Giordano Bruno - Acerca Do Infinito, Do Universo E Dos Mundos

Fundação Calouste Gulbenkian (junho 1998)

 

 Giordano Bruno

(Nola, Reino de Nápoles, 1548 — Roma, Campo de Fiori, 17 de fevereiro, 1600)

 

SKMBT_C20317012211200.jpg

 

Apresento-vos agora a minha especulação acerca do infinito, do universo e dos mundos inumeráveis. 

(...)

começa-se a demonstrar a infinidade do universo, e apresenta-se o primeiro argumento, tirado o facto de não saberem onde termina o mundo aqueles que mediante a fantasia lhe querem fabricar muralhas. 

 

 

Giordano Bruno - Acerca Do Infinito, Do Universo E Dos Mundos

Fundação Calouste Gulbenkian (junho 1998)

 

 

lisboa


Cecília

16
Fev17

 

 ________________ nas traseiras da habitação antiga

Que pouco a pouco foi ruindo, os galos, os pintos

E as galinhas ficaram soterrados no espaço vago

Da devastação urbana. Fruto de escavadeiras,

Lisboa espera agora por mais um prédio

Magalómano de cimento, e por filas e filas de janelas

Sem ovos, tão tem galos são depressivas as 

Auroras. Grasnam patos bravos, coitados

Dos humanos. Perderam o rasto à caixa das almas

Sua antiquíssima ferramenta de convívio. 

 

 

Maria Gabriela Llansol - O Começo de Um Livro É Precioso
Assírio & Alvim (outubro 2003)

enganos


Cecília

16
Fev17

Fui dar com ela no quarto a chorar, o telemóvel 

Atirado para um canto. Entre lágrimas, foi dizendo 

(E tem doze anos) que seu amigo decidira que deviam

Esperar. Sua mensagem: «Só o amor verdadeiro está

Por vir». É ténue a diferença (pensei) entre um galã 

E um filósofo. Mas ela, sobretudo, descobrira que os 

Novos instrumentos «mordem» tanto como os antigos, 

Salvo que muito mais depressa. A mentira vende. Para

A publicidade, na nova comunicação é impossível a má

Notícia. Por que não trocam com os jornais? 

 

 

Maria Gabriela Llansol - O Começo de Um Livro É Precioso
Assírio & Alvim (outubro 2003)

 

 

 

sonhei aos vinte anos durante três avé-marias
que eu tinha-me roubado a minha vida
depois de treler o monte dos vendavais
decidi ir contra a futilidade do romance

fui apanhado aos vinte e dois anos
em plena capicua inocente e rua
em amantíssima posse viral

a verdade apanha-se com enganos

aos vinte e três outonos apaixonei-me doze vezes
e nem sempre pelas mesmas almas
mas sobrevivi a um coração míope

 

A Verdade Apanha-se Com Enganos

A Naifa

sim


Cecília

10
Fev17

Achei você no meu jardim entristecido
Coração partido
Bichinho arredio
Peguei você pra mim
Como a um bandido
Cheio de vícios
E fiz assim, fiz assim:

Reguei com tanta paciência
Podei as dores, as mágoas, doenças
Que nem as folhas secas vão embora
Eu trabalhei

Fiz tudo, todo o meu destino
Eu dividi, ensinei de pouquinho
Gostar de si, ter esperança e persistência sempre

A minha herança pra você é uma flor
Um sino,uma canção,um sonho
Nenhuma arma ou uma pedra eu deixarei

A minha herança pra você é o amor
Capaz de fazê-lo tranqüilo, pleno
Reconhecendo no mundo o que há em si

E hoje nos lembramos sem nenhuma tristeza
Dos foras que a vida nos deu
Ela com certeza
Estava juntando você e eu

 

Achei você no meu jardim

 

 

Vanessa  da Mata

 (10 de fevereiro de 1976)

Борис Пастернак


Cecília

10
Fev17


February. Take ink and weep,
write February as you’re sobbing,
while black Spring burns deep
through the slush and throbbing.


Take a cab. For a clutch of copecks,
through bell-towers’ and wheel noise,
go where the rain-storm’s din breaks,
greater than crying or ink employs.


Where rooks in thousands falling,
like charred pears from the skies,
drop down into puddles, bringing
cold grief to the depths of eyes.


Below, the black shows through,
and the wind’s furrowed with cries:
the more freely, the more truly
then, sobbing verse is realised.


Boris Pasternak - February 

 

 

Eu não gosto de pessoas que nunca caíram ou que nunca tropeçaram. A virtude delas é sem vida e não vale muito.

A vida não lhes revelou sua beleza.

 

Boris Pasternak

(10 de fevereiro, 1890 — 31 de maio, 1960)