Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

teorema do porto

11.01.17

Fui sempre fiel ao Porto, a que pertenço e sempre pertenci, que me pertence como uma roupa do corpo que me veste por dentro, como uma pele imemorial em que o tempo conta muito e não conta nada. Como um espelho em que me revejo e identifico e em que me poderei finalmente reconciliar comigo próprio. 

O Porto, para mim, na clareza lapidar e fulgurante da Sophia é a pátria dentro da pátria (...). 

Não conheceu o destino imperial de Lisboa nem o seu culto do aparato e da aparência - aqui dizemos p'ra inglês ver - o Porto nunca teatralizou a sua existência nem se espanta e espaventa com facilidade. 

Povo de gente rija habituada à humidade e à poluição, à poupança, à contenção e a fazer contas à sua moda, à insatisfação e a subir na vida a pulso, aos engarrafamentos, aos bloqueios, às mentiras dos governos, o seu carácter sempre foi a sua virtude através dos tempos difíceis ou dos outros que também nunca lhe foram servidos de bandeja. Cada cidade tem o seu teorema, só que é quase sempre impossível demonstrá-lo. Ou será que as raízes das palavras são quadradas como ironicamente questionava Ionesco? (...)

O carácter do Porto é a sua verticalidade, é a sua frontalidade imbuída de uma rudeza franca e leal.

 

Miguel Veiga 

 in Espírito do Porto - Aguarelas de Vasco d'Orey Bobone
2004 QN - Edições e Conteúdos SA

 

 

 

 

 

How Is Your Heart?

11.01.17

during my worst times
on the park benches
in the jails
or living with
whores
I always had this certain
contentment-
I wouldn't call it
happiness-
it was more of an inner
balance
that settled for
whatever was occuring
and it helped in the
factories
and when relationships
went wrong
with the
girls.
it helped
through the
wars and the
hangovers
the backalley fights
the
hospitals.
to awaken in a cheap room
in a strange city and
pull up the shade-
this was the craziest kind of
contentment

and to walk across the floor
to an old dresser with a
cracked mirror-
see myself, ugly,
grinning at it all.
what matters most is
how well you
walk through the
fire.

 

Charles Bukowski - Ham on Rye: A Novel

 

 

It's hard to find the balance, when you are in love.
You're lost in the middle, cause you have to decide,
between mind and heart...

Between mind and heart...

Heart is the engine of your body.
But brain is the engine of your life.

Between mind and heart...

Heart is the engine of your body.
But brain is the engine of your life.

Between mind and heart.
Between mind and heart.

Between mind and heart.

 

Enigma - Between Mind and Heart

(The Screen Behind the Mirror - 2000)

 

Tão Cedo Passa Tudo quanto Passa

10.01.17

Tão cedo passa tudo quanto passa!
Morre tão jovem ante os deuses quanto
Morre! Tudo é tão pouco!
Nada se sabe, tudo se imagina.
Circunda-te de rosas, ama, bebe
E cala. O mais é nada.

 

Ricardo Reis, in "Odes"

 

 

O tempo é um relógio sem ponteiros, só DEUS sabe a hora certa das coisas acontecerem. 

ramos que estendi

10.01.17

Ao sul
À procura do meu Norte
Subo as águas desse rio
Onde a barca dos sentidos
Nunca partiu

Lá longe
Inventei o dia azul
E o desejo de partir
Pelo prazer de chegar
Ao sul

Cada um tem a sina que tem
Os caminhos são sempre de alguém
Ao sul

Ao sul
Entre dois braços abertos
Bate um coração maltês
Que se rende, que se dá
De vez


Por amor
Corto os frutos que criei
Corto os ramos que estendi
Pela raíz que abracei
Ao sul

Cada um tem a sina que tem
Os caminhos são sempre de alguém
Ao sul

 

Ala dos Namorados - Ao sul 

(Solta-se o Beijo,1999)

 

 

 

Obrigada, estúpido

 

Imagem encontrada no estúpido aluga-se

Labirinto ou não Foi Nada

09.01.17

Talvez houvesse uma flor
aberta na tua mão.
Podia ter sido amor,
e foi apenas traição.

É tão negro o labirinto
que vai dar à tua rua ...
Ai de mim, que nem pressinto
a cor dos ombros da Lua!

Talvez houvesse a passagem
de uma estrela no teu rosto.
Era quase uma viagem:
foi apenas um desgosto.

É tão negro o labirinto
que vai dar à tua rua...
Só o fantasma do instinto
na cinza do céu flutua.

Tens agora a mão fechada;
no rosto, nenhum fulgor.
Não foi nada, não foi nada:
podia ter sido amor.

 

David Mourão-Ferreira - À Guitarra e à Viola