Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

ta(ma)ncos

Troc…  troc…  troc…  troc…

ligeirinhos, ligeirinhos,

troc…  troc…  troc…  troc…

vão cantando os tamanquinhos…

 

Madrugada.   Troc…  troc… 

pelas portas dos vizinhos

vão batendo, Troc…  troc… 

vão cantando os tamanquinhos…

 

Chove.  Troc…  troc…  troc… 

no silêncio dos caminhos

alagados, troc…  troc…

vão cantando os tamanquinhos…

 

E até mesmo, troc…  troc…

os que têm sedas e arminhos,

sonham, troc…  troc…  troc…

com seu par de tamanquinhos…

 

 

Cecília Meireles, A canção dos Tamanquinhos

 

 

 

 

 

 

D. e L.

“Filho é um ser que nos foi emprestado para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter coragem. Isso mesmo! Ser pai ou mãe é o maior ato de coragem que alguém pode ter, porque é expor-se a todo o tipo de dor, principalmente o da incerteza de agir corretamente e do medo de perder algo tão amado. Perder? Como? Não é nosso, recordam-se? Foi apenas um empréstimo.”

 

José Saramago 

 

 

 

madonna em lisboa *

porque os Portugueses nunca se denunciam na maneira de melhor servir a sua terra

 

almada - Lx. Abril 1922

 

 

Ainda não vi em Lisboa o Fassbender, a Madonna, o Cantona, muito menos a Belluci. Mas vi o Almada Negreiros na Gulbenkian.

@JoseDePina

José de Pina@JoseDePina

 

 * http://museudearteantiga.pt/exposicoes/madonna

por fin

como si el deseo más intenso pudiera desembocar en una calma no menos excitante (...) El cuerpo de Delphine había hallado el destino tan perseguido. Frédéric se notaba por fin apaciguado; se le iba colmando una carencia no identificada hasta el momento. Y ambos sabían que eso que estaban viviendo no sucedía nunca. O sucedía a veces en la vida de los demás. 

 

 

David Foenkinos - La biblioteca de los libros rechazados (2016)
Titulo original: Le Mystère Henri Pick
Traducción de María Teresa Gallego Urrutia y Amaya García Gallego
Penguin Random House Grupo Editorial S.A.U. (febrero, 2017)

 

 

 

 

rugas (II)

Às crianças contamos histórias,

E limpeza, ordem e fala lhes pedimos. Aos adultos falamos

De afectos e vamos prevenindo que será uma desgraça.

Aos velhos apresentamos o resultado. 

 

 

Maria Gabriela Llansol - O Começo de Um Livro É Precioso
Assírio & Alvim (outubro 2003)

 

 

 

 

 

stream of consciousness

 

 A CENA DO ÓDIO

De José de Almada-Negreiros

Poeta Sensacionista e Narciso do Egipto 

 

Ergo-Me Pederasta apupado d'imbecis. 

(...)

Tu, que te dizes Homem! 

Tu, que te alfaiatas em modas

e fazes cartazes dos fatos que vestes

pra que se não vejam as nódoas de baixo! 

Tu, qu'inventaste as Ciências e as Filosofias,

as Políticas, as Artes e as Leis, 

e outros quebra-cabeças de sala

e outros dramas de grande espectáculo...

Tu, que aperfeiçoas a arte de matar... 

Tu que descobriste o cabo da Boa-Esperança

e o Caminho Marítimo da Índia

e as duas Grandes Américas, 

e que levaste a chatice a estas terras 

e que trouxeste de lá mais Chatos pr'aqui 

e qu'inda por cima cantaste estes Feitos... 

Tu, qu'inventaste a chatice e o balão,

e que farto de te chateares no chão 

te foste chatear no ar, 

e qu'inda foste inventar submarinos 

pra te chateares também debaixo d'água... 

Tu, que tens a mania das Invenções e das Descobertas

e que nunca descobriste que eras bruto,

e que nunca inventaste a maneira de o não seres...

Tu consegues ser cada vez mais besta

e a este progresso chamas Civilização! 

(...)

(Há tanta coisa que fazer, Meu Deus!

e esta gente distraída em guerras!)

(...)

Oh! Se eu soubesse que o Inferno

não era como os padres mo diziam -

uma fornalha de nunca se morrer - ,

mas sim um Jardim da Europa

à beira-mar plantado...

(...) 

E inda há quem faça propaganda disto: 

a pátria onde Camões morreu de fome

e onde todos enchem a barriga de Camões!

 

 

Com a data de 14 de Maio de 1915