Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Nariz de cera

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

anotações e apontamentos que dizem tudo - de, por e para mim - por si mesmos.

invasão indonésia de Timor-Leste

7 de Dezembro, 1975 - 1978

 

Em Agosto de 1975, a embaixada dos Estados Unidos em Jacarta enviou um documento "secreto" ao Departamento de Estado a relatar um encontro entre o embaixador dos Estados Unidos e o tenente general Yoga Sugomo, dos serviços secretos indonésios.

Neste encontro, Yoga delineou a situação em Timor-Leste e expressou frustração por não conseguir clarificar "o que o actual Governo português vê como as suas obrigações e responsabilidades no Timor português ou como é que os portugueses tencionam cumprir as suas responsabilidades".

(...)

Quando informado pelo embaixador norte-americano de que "os socialistas portugueses tendem a manter laços ideológicos com os socialistas europeus e não com Moscovo" e sobre como as "tendências" em Portugal eram "vistas como não comunistas e de dificuldades para os comunistas, o general Yoga repetiu meramente que, pelo que sabia, os "socialistas eram pró-Moscovo e os comunistas eram pró-chineses".

Interrogado pelo general indonésio sobre qual a posição dos Estados Unidos para com a situação em Timor-Leste, o embaixador respondeu que, "em primeiro lugar, o Governo dos Estados Unidos não está ansioso por se envolver de qualquer modo no Timor português", sendo o "principal interesse norte-americano o impacto de qualquer mudança no Timor português nas relações dos Estados Unidos com a Indonésia".

"Em segundo lugar, o Governo dos Estados Unidos não tem qualquer objecção à fusão de Timor português com a Indonésia, assumindo que é esse o desejo da população", acrescentou o diplomata, citado no documento.

O embaixador disse que poderia "haver problemas" se houver "uma tomada pela força" avisando que isso poderia pôr em perigo a ajuda militar à Indonésia.

No encontro, o general Yoga disse não acreditar que a fusão de Timor-Leste com a Indonésia pudesse angariar mais apoio entre a população timorense porque "só a Apodeti (Associação Popular Democrática de Timor) é que apoia isso".


A 5 de Dezembro de 1975, nas vésperas de uma visita do então Presidente Gerald Ford a Jacarta, o Departamento de Estado enviou uma nota "secreta" a Henry Kissinger a mencionar a informação sobre a decisão da Indonésia de invadir Timor entre "6 e 8 de Dezembro".

O documento sugere que - embora seja de esperar que a Indonésia não tome qualquer acção antes da partida de Ford de Jacarta, para evitar um "sério embaraço" - seja enviada uma "mensagem urgente" às autoridades indonésias "pedindo que os indonésios não façam qualquer anúncio e não tomem medidas militares até bem depois da partida do Presidente de Jacarta".

Documentos preparados por Kissinger para o Presidente Ford, para a sua visita a Jacarta, indicam, contudo que para Washington Timor-Leste não era uma prioridade.

 

in https://www.publico.pt/2005/11/29/mundo/noticia/portugal-disse-aos-eua-que-nao-se-oporia-a-invasao-de-timorleste-1240452

 

 

transferir.png

 

 

Balibó, lugar onde foram assassinados os jornalistas australianos que faziam a cobertura das primeiras incursões das forças indonésias em Timor-Leste

Data: 1975

 

TIMOR LESTE MEMÓRIA

 

 

 

 

3 comentários

Comentar post